TRÊS LAGOAS

MATO GROSSO DO SUL

Com estoque zerado Hemosul convoca doadores de O negativo

Publicados

em


O Hemocentro da Capital entrou em situação de emergência para sangue do tipo O negativo com os estoques zerados nesta segunda-feira (22). A instituição também alerta para o estado crítico de sangue 0+ com apenas 22% no estoque.

Para doar é preciso:

Documentação: Documento oficial com foto, como a carteira de identidade ou de motorista.

Idade: Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos segundo a nova lei da doação de sangue aprovada em 2013. Há uma ressalva para quem tem 16 e 17 anos: no Hemosul, o menor de idade tem que estar acompanhado de pai ou mãe ou responsável legal. Caso o menor de idade seja emancipado pode vir doar sozinho trazendo o documento de emancipação. Se for casado traz a certidão de casamento que já é suficiente para a liberação. Também é importante lembrar que a primeira doação somente pode ser feita até 60 anos. Acima desta idade, apenas para quem já é doador de sangue.

Peso: Embora a nova lei permita a doação de pessoas abaixo de 50 Kg, a Rede Hemosul-MS reserva-se o direito de aceitar apenas doadores com 55 kg ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador.

Leia Também:  Defesa Civil fala sobre estragos da chuva e destaca tendência de tempo firme para os próximos dias 

Intervalo de doação: homens podem doar até quatro vezes ao ano com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com um intervalo mínimo de três meses.

Doenças que impedem a doação: doenças hematológicas, cardíacas, renais, pulmonares, hepáticas, autoimunes, diabetes, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramentos anormais, convulsões, ou portadores de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue como Doença de Chagas, Hepatite, AIDS, Sífilis. Se estiver com gripe ou alergia deve esperar sete dias após sarar para doar sangue.

Medicamentos: alguns medicamentos impedem a doação. Portanto fale para o profissional de saúde que for lhe entrevistar os remédios que está utilizando.

Vacinas: As vacinas impedem temporariamente a sua doação. Por isso, aproveite para doar sangue antes de tomar a dose de vacina.

Alimentação: deve estar BEM ALIMENTADO para doar sangue. Como muitos pensam não se pode doar sangue em jejum. É diferente de quando vamos fazer exames laboratoriais de sangue, para os quais o jejum é recomendado. Mas o doador pode evitar alimentos com excesso de gordura quando vier doar sangue. É recomendado que se alimente bem, porém, de forma saudável.

Leia Também:  MS recebe mais 32 mil doses da vacina contra Covid-19 e já prepara a distribuição aos municípios

Vale ressaltar que a doação pode ser agendada pelos telefones (67) 3312-1516, (67) 3312-1529 e (67) 99298-6316.

Mais informações podem ser obtidas pelo site www.hemosul.ms.gov.br ou pelos

O Hemosul está localizado na Avenida Fernando Correa da Costa, n° 1304 no Centro de Campo Grande.

Lívia Miranda,  Assessoria de comunicação Hemosul

Foto: Saul Schramm

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

SES inicia tratativas para evitar que nova variante do coronavírus chegue no Estado

Publicados

em


Com a presença da nova variante do coronavírus circulando nos estados que possuem divisas com Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), realizou na manhã deste domingo (28), a primeira reunião com representantes da Assomasul, Polícia Rodoviária Federal, Defesa Civil e da Segurança Pública, para entender o comportamento do vírus nos outros estados e a partir deste conhecimento, criar medidas que possam conter a eventual propagação da variante em Mato Grosso do Sul. A SES ainda não detectou por meio de sequenciamento genético a presença do vírus. A bandeira dos municípios também causa preocupação.

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, essa primeira tratativa foi mais para ter conhecimento e conscientização sobre a nova variante. “Ela já nos causa preocupação, queremos estar preparados para quando ela chegar. Sabemos que ela chegou forte no país. Estados como São Paulo e Paraná, que são nossos vizinhos, já não contam mais com leitos. Esta nova variante está atingindo outras faixas etárias que não eram frequentes”.

Consultor da SES, o médico infectologista Júlio Croda explicou que os outros estados em que a variante está presente já enfrentam diversas dificuldades em seus sistemas de saúde. “Essa nova variante nos preocupa porque ela possui 10 vezes mais carga viral, o que significa que ela é mais contagiosa, ou seja, o nível de transmissão é de 50 a 60% maior. Quando ela chega e se instala, a subida no número de casos é muito rápida”.

Leia Também:  Defesa Civil fala sobre estragos da chuva e destaca tendência de tempo firme para os próximos dias 

Geraldo Resende afirmou que o Prosseguir terá papel fundamental e crucial para o Estado. “Será o nosso norte. Nós temos divisas com os estados, fronteiras com dois países, não existe nenhuma outra medida que não seja o distanciamento social, higienização das mãos e o uso de máscaras, mas se for preciso, poderemos adotar medidas que possam ser mais rigorosas. Nesta semana, vamos conversar com o governador Reinaldo Azambuja, que sempre se mostrou aberto quanto a este assunto e queremos que os municípios estejam presentes conosco nesta discussão”.

Representante da Assomasul e prefeito de Terenos, Henrique Wancura Budke, disse que a Assomaul será parceira neste processo de enfrentamento a nova variante. “Nós sabemos que o Estado tem condições de nos dar essa instrução quanto a situação epidemiológica de Mato Grosso do Sul. Há muitos municípios em vermelho, muitos tentam seguir o decreto, mas sabemos que isso é difícil. Infelizmente, muitas pessoas também não respeitam. Mas nós precisamos e queremos participar mais destas reuniões para a gente saber como está esse perfil epidemiológico. Nós estamos à disposição para sermos parceiros”.

O diretor de Saúde e assessor técnico do Corpo de Bombeiros Militar na SES, coronel Marcello Fraiha, ressalta que a classificação das bandeiras também tem causado preocupação. “Por conta disto, queremos adotar algumas medidas para minimizar a possibilidade da mudança para quando alguns municípios forem para a bandeira cinza. Assim, queremos de forma preventiva, adotar medidas para minimizar essa questão em que grande parcela dos municípios se encontra na bandeira vermelha, na tentativa de melhorar o quadro epidemiológico do Estado, aja vista que o Prosseguir nos indica uma grande preocupação”.

Leia Também:  MS contabiliza mais 10 mortes por coronavírus

A secretária-adjunta da SES, Crhistinne Maymone, reforçou que já foram emitidos comunicados para os municípios sobre este cenário. “A SES encaminhou na última quinta-feira (25), relatórios quanto a nova variante e sobre a situação epidemiológica do Estado para os prefeitos e secretários municipais de saúde de Mato Grosso do Sul”

Prosseguir

O Governo do Estado divulgou no último dia 24, o novo mapa do Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir) com 31 municípios na bandeira vermelha, 38 na faixa laranja e dez na amarela. O panorama da 7ª semana epidemiológica apresenta melhora do grau de risco de 29 cidades, piora de 22 e permanência de 28 na mesma faixa.

Os indicadores que atualizam o grau de risco dos 79 municípios do Programa foram aferidos de 14/02 a 20/02/2021, com recomendações válidas até 6 de março. Os relatórios com o grau de risco atualizado e sugestão de medidas serão encaminhados a todos os prefeitos.

Texto e foto – Rodson Lima, SES

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

POLICIAL

MATO GROSSO DO SUL

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA