TRÊS LAGOAS

MATO GROSSO DO SUL

Agesa vence licitação para administrar Porto Seco de Corumbá, fundamental para alavancar logística na fronteira

Publicados

em

A Armazéns Gerais Alfandegados de Mato Grosso do Sul (Agesa) foi a vencedora da licitação para controle do principal porto seco do Estado e um dos mais movimentados do Centro-Oeste. O resultado da concorrência nº 1/2022 da Receita Federal foi publicado nesta quinta-feira (12) no Diário Oficial da União.

A empresa que já administrava o porto há 30 anos agora terá um prazo da nova concessão de mais 25 anos. Conforme o Edital, foram definidas algumas exigências de adequação do movimento comercial, bem como a criação de uma estrutura modal mais eficiente para o transporte ferroviário. Pelo processo a atual estrutura precisará passar de 29 mil m2 para 100 mil m2.

O secretário de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro) Jaime Verruck, destacou que o Porto Seco de Corumbá é fundamental para o processo de importação e exportação Brasil -Bolívia. “É uma peça fundamental. Tão importante que quando do vencimento do contrato administrativo da Agesa houve necessidade de uma ação judicial para que ele permanecesse operando. Se o Porto não operasse nós teríamos um caos na fronteira do ponto de vista logístico”, relembrou ele, enfatizando que a Receita Federal hoje não teria condições de coordenar todo o fluxo de veículos principalmente na questão de ureia e combustível.

“São cerca de 700 caminhões por dia. A Receita Federal fez um processo permitindo que a Agesa participasse e oferecesse o local dela. Agora nós inserimos uma lógica na época que o Porto Seco deveria ter um ramal ferroviário”, acrescentou.

Ele salientou que o Edital captou esta questão da perspectiva futura e necessidade de um modal ferroviário. “Um outro ponto que inserimos ainda durante a audiência pública é que nós tínhamos que ter um ramal ferroviário. Então necessariamente o local aonde será o Porto pode ser que ele tenha um ramal ferroviário. Essa vai ser uma obra adjacente que eles têm que fazer”, afirmou.

O secretário reafirmou o compromisso do Governo do Estado em avançar na competitvidade da logística dos produtos sul-mato-grossenses. “Nós estamos em Mato Grosso do Sul reestabelecendo a lógica de Porto Seco. Um dos pontos que tínhamos que resolver era Corumbá e agora está resolvida, está licitado, ordenado e a empresa que ganhou tem toda experiência e conhecimento”, destacou.

Produtos

Mato Grosso do Sul é um notório importador de gás natural da Bolívia. No ano passado o Estado importou US$ 1,1 bilhão, sendo 99% de gás natural.  “Somos hoje mais importadores que exportadores. Atualmente vendemos para a Bolívia material de construção, máquinas e equipamentos. E importamos, além do gás que vem pelo gasoduto, a ureia que entra por rodovia. E veja, o Brasil tem uma dependência de ureia do mundo inteiro. Enquanto nós temos uma fábrica de ureia ao lado da Bolívia. Então a ureia tem sido importada, assim como o bora e o borato, matérias primas necessárias pra produção de fertilizantes. E ainda enviamos muito combustível, principalmente gasolina que vem de Goiás”, reiterou.

O Porto Seco de Corumbá possui localização privilegiada pela proximidade com a Bolívia, país que é grande consumidor de produtos do mercado nacional.

A Bolívia é um país com conjuntura macroeconômica estável e amplo potencial de crescimento econômico. A extensão de seu território é de aproximadamente 1,1 milhão de km² e sua população corresponde a cerca de 10,8 milhões de habitantes. Por estar geograficamente situada no centro da América do Sul, é um parceiro privilegiado para o aprimoramento da infraestrutura de integração física regional.

Rosana Siqueira, Semagro
Foto: Divulgação

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Governo do Estado entrega mais de 14 mil cobertores para Campo Grande que promete entrega imediata

Publicados

em

Campo Grande recebeu nesta quarta-feira (25) cobertores adquiridos pelo Governo do Estado com recursos do Fundo de Investimento Social (FIS). As 14.534 unidades foram entregues para o secretário Municipal de Assistência Social, José Mario Antunes, em solenidade no programa Rede Solidária, no Jardim Noroeste.

Adriano Chadid, secretário em exercício da Secretaria de Estado de Direitos Humanos Assistência Social e Trabalho (Sedhast), realizou a entrega ao lado do secretário de Estado de Governo, Eduardo Rocha, e da secretária de Estado de Administração e Desburocratização, Ana Nardes, com a participação do deputado estadual Herculano Borges.

José Mario Antunes disse que os cobertores chegaram em excelente hora. “Muito importante essa entrega. Todo ano estamos com essa parceria para atender as famílias em extrema situação de vulnerabilidade. Esses cobertores serão distribuídos pelos nossos 21 Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) localizados nas sete regiões do município de Campo Grande e também no distrito de Anhanduí. Imediatamente vamos encaminhar [os cobertores] para as nossas unidades, pois está prevista uma grande frente fria em breve”, pontuou o secretário.

Moradora do Jardim Noroeste, Simone Silva, 33 anos, mãe de quatro filhos, enfatizou que a entrega chega no momento em que precisa e vai ajudar a sua família a se manter aquecida. “Vai ajudar bastante. Minha família e as outras também que estão precisando. Deus abençoe a todos por essa coberta”, disse a moradora.

Chadid reforçou a parceria com o município de Campo Grande em situações que atendem as famílias em vulnerabilidade social, como a entrega de cobertores, o programa Mais Social e o Energia Social. Os secretários Eduardo Rocha e Ana Nardes enfatizaram o momento oportuno da entrega, possibilitando a utilização plena dos cobertores durante o inverno.

Ao centro, a moradora do Jardim Noroeste, Simone Silva, recebeu o cobertor pelo município de Campo Grande

Os 80 mil cobertores adquiridos pelo Governo do Estado estão sendo entregues também para os demais 78 municípios. A quantidade de cobertores foi pactuada na Comissão Intergestores Bipartire da assistência social (CIB/MS), com deliberação do Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS). Corumbá, por exemplo, receberá 3.007 cobertores. Dourados fica com 5.052 e Três Lagoas, 3.038. A lista completa pode ser conferida no Diário Oficial do Estado (DOE/MS), 10.820.

O cobertor entregue é do tipo casal, com material em manta em microfibra, 100% poliéster, medindo 1,80 x 2,20 m e gramatura de 190 g. Cada unidade saiu por R$ 40,44, totalizando investimento de R$ 3.235.600,00 reais.

Para a Defesa Civil de MS foram destinados 1,5 mil cobertores, para atendimentos específicos via órgão, que muitas vezes alcança localidades de difícil acesso em nosso estado. Essa destinação também foi pactuada na CIB/MS.

Leomar Alves Rosa, Sedhast
Fotos: Monique Alves

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

POLICIAL

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO DO SUL

MAIS LIDAS DA SEMANA