TRÊS LAGOAS

ENTRETENIMENTO

Festival de música reunirá 5 mil pessoas sem máscara para vacinados e testados

Publicados

em


source
Festa no Rio de Janeiro não terá máscaras
Reprodução/Pixabay

Festa no Rio de Janeiro não terá máscaras

Um dos eventos-teste autorizados pela Prefeitura do Rio nesta quarta-feira, um festival de música eletrônica acontecerá nos dias 2 e 3 de outubro no Alto da Boa Vista, na Zona Norte do Rio, para um público de até 5 mil pessoas.

Conforme autorização da Secretaria municipal de Saúde (SMS), os organizadores do evento já anunciaram que não exigirão uso de máscara nem distanciamento dos presentes, que deverão, por sua vez, apresentar vacinação contra a Covid-19 em dia e diagnóstico negativo para a doença.

Segundo descrição num portal de venda de ingressos, o evento é uma comemoração ao aniversário de 30 anos do DJ Pedro Lucena, que empresta à festa seu nome artístico. Com ingressos que custam até R$ 495, a Lucce Party acontecerá na casa de eventos Fábrika, um salão de festas nobre localizado na Estrada de Furnas, e promete uma noite inteira de full open bar, com uísque, cerveja, gin tônica e “special drinks”.

De acordo com solicitação enviada pela organização da festa à SMS, o evento deve reunir no mínimo mil pessoas. O objetivo, segundo o texto de divulgação escrito por Lucce, é “juntar amigos do Brasil todo numa festa incrível”. Os ingressos custam R$ 253 para mulheres (R$ 230 a entrada, mais R$ 23 de taxa pela compra) e R$ 495 para homens (R$ 450 a entrada, mais R$ 45 de taxa pela compra).

O aniversariante tocará na ocasião junto a outros DJs, como a influenciadora digital Bruna Lennon, ex-namorada do ator José Loreto. “As atrações convidadas foram escolhidas para minuto a minuto crescer a vibe, juntar as emoções e fazer a energia de todos se transformar em algo singular, o famoso além”, diz o convite disponível na internet.

O texto frisa ainda que a comemoração acontecerá “nos moldes de festa, sem distanciamento e sem o uso de máscaras”. “A comemoração do aniversário do nosso DJ será linda! Faremos uma noite histórica com todos vacinados e testados”, diz a descrição.

“Ainda soa como um sonho para nós, e se é um sonho, será um desses que viveremos juntos! Para tal, será necessário estar com a vacinação contra a Covid-19 em dia, apresentando o certificado no Conecte-SUS e ainda apresentar resultado negativo para exame swab antígeno realizado nas últimas 48h antes do início do evento”, completa o texto.

O convite destaca que a Lucce Party é “o primeiro evento-teste da cidade do Rio de Janeiro”. No entanto, nesta quarta-feira, a prefeitura também deu aval a um evento que acontecerá um dia antes, no Copacabana Palace, na Zona Sul: uma festa de anivesário de 16 anos, com autorização para reunir um público de cerca de 400 pessoas.

Além destes, um terceiro evento-teste recebeu a chancela da prefeitura para acontecer em outubro no Rio. O festival “Rock Brasil” está marcado para os dias 13 a 31 e pretende juntar até 5 mil pessoas na Praça da Pira, no Centro.

Por decisão da prefeitura, nenhum dos três eventos estará obrigado a exigir uso de máscaras ou de distanciamento social, desde que cumpridos os requisitos de testagem prévia e comprovação de vacinação em dia. Especialistas ouvidos pelo GLOBO criticam o posicionamento do município de desobrigar a proteção facial e a distância mínima entre os participantes.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ENTRETENIMENTO

Bruno de Luca revela bullying quando era mais novo: “Me sentia diminuído”

Publicados

em


source
Bruno De Luca em uma de suas viagens
Divulgação/Multishow

Bruno De Luca em uma de suas viagens


Bruno De Luca é inquieto e bem-humorado. É também determinado e foi justamente a sua determinação que o levou a ser ator, profissão que ele escolheu desde muito cedo. Sofreu com piadas, foi vítima de bullying, aprendeu que tudo tem perdão e que gentileza gera gentileza. Aos 39 anos, noivo e com intenção de casar e ter filhos, Bruno revela que está cheio de planos profissionais.

“A minha vida é criar projetos, muitos não acontecem, alguns acontecem depois de anos e eu até tenho no computador uma pasta com todos os projetos. Vou criando, recriando, apresentando, reapresentando e repaginando. Criei um reality que estou apaixonado. Estou em fase de apresentação para emissoras e plays”, adianta em uma conversa franca e direta com a coluna. Com vocês, Bruno de Luca.

Depois de tanto tempo sozinho e viajando muito por conta do seu programa de viagens no Multishow, finalmente você encontrou a tampa da sua panela. Imaginava se apaixonar assim a ponto de já providenciar o casamento? Então… (risos). Até dois anos atrás eu achava que ficaria solteiro para o resto da vida, ou então durante um bom tempo. Lógico que eu tive muitos relacionamentos ao longo desses anos todos desde a minha última namorada, mas nenhum que eu quisesse casar mesmo ou ficar junto em casa. Nenhum relacionamento me deixava animado para dividir as minhas coisas. Eu não gostava de conviver, era só aquele momento e eu não tinha relação de dia a dia, de gostar de ficar junto, de sentir falta. Quando eu comecei a sentir falta e sentir sentimentos que eu nunca tinha sentido antes, eu falei: ‘encontrei’ e é ela mesmo que eu quero me casar. Ela me completa, é a minha parceira e minha amiga. Foram vários sentimentos novos ou que eu não sentia há muito tempo.

Falando no casamento, o que pode adiantar sobre ele? Já tem data, local, estilo do evento? Quais ideias vocês têm para o grande dia? Na verdade ainda não tem nenhum detalhe, porque ficamos noivos durante a pandemia. Nós começamos a namorar em janeiro de 2020 e ficamos noivos em 1º de janeiro de 2021. Não planejamos ainda nada porque estamos esperando o que vai acontecer mesmo. Nós não estamos com tanta pressa assim. Eu só queria garantir ela pra mim e mostrar para a família dela que eu queria uma coisa séria, que não era uma viagem ou uma coisa de momento. Imagino que existem muitas pessoas, inclusive os pais dela, que eu sou uma pessoa que gosto muito de viajar, festas e que nunca tinha levado um relacionamento à sério. Eu fiquei noivo também por isso: para garantir a noiva e provar a família que é tudo sério.


Com o casamento vindo aí, não podemos deixar de perguntar se já conversam sobre ter filhos… Já estão planejando? Independente da data ou não do casamento, nós queremos muito ter filhos. Nós amamos crianças, eu tenho quatro sobrinhos, dois do meu irmão e dois da minha irmã, convivo com a Sophie, que é filha da Rosane, uma pessoa que trabalha na minha casa há mais de 10 anos. Eu a trato como se fosse minha filha. Tenho muito amor por Sophie e fico muito animado em ter um filho. Na verdade, eu gosto demais de criança.

Leia Também

Como se conheceram? Quem tomou a iniciativa: você ou a Sthéfany Vidal? Nós nos conhecemos em um quiosque que fica na frente da minha casa, na Barra da Tijuca. Ela trabalhava no ‘Domingão do Faustão’, era repórter e eles foram gravar ‘Os Melhores do Ano’ no Hotel Windsor Barra, que fica na minha rua. E eu vou neste quiosque com frequência. Estava lá, tomando chopp com os amigos e também sócios, quando a Sthéfany chegou com várias pessoas da produção que eu já conhecia, porque trabalhei algumas vezes no Faustão. Todo mundo se misturando e eu fiquei com pena do meu cachorro, o Bart, que estava muito tempo sozinho. Vim em casa, peguei ele e fiquei dançando, conversando e de repente senti falta do Bart. A Sthéfany estava cuidando dele e eu falei que ‘menina doce, preocupada com ele e eu aqui dançando. Fui lá conversar e aí aquele papo. Cachorrinho tem telefone, tem endereço…

Você é um grande apresentador. Com a saída do Thiago Leifert do BBB, muito se especulou sobre quem iria comandar o programa. Você aceitaria apresentar algum reality como o BBB? Muito obrigado pelo grande apresentador. Olha, nesses quase 30 anos de carreira, já que comecei com 10 anos e vou fazer 40 anos, eu trabalhei em tudo quando foi projeto audiovisual. Até filme de terror eu fiz. Trabalhei com Luciano Huck, Fausto Silva… Nem sabia o que era delay… Trabalhei no Mutishow, produzi e criei projetos. Diante de tudo isso e como eu me sinto atualmente, eu posso falar que eu tenho segurança e certeza que eu posso apresentar qualquer tipo de programa. Sim, eu tenho a certeza que apresentaria o ‘Big Brother Brasil’ e outro reality. Claro que eu tenho preferencia de acordo com os meus gostos pessoais, mas sendo funcionário de uma emissora, eu visto a camisa e apresento o que for.

Você apresentou o ‘BBB – A Eliminação’ durante a última edição. Como é a sua relação com o programa? Você assiste o ‘BBB’? Está ansioso para a próxima temporada? Eu tenho uma relação de amor com ‘A Eliminação’ porque eu voltei a apresentar. Eu apresentei a primeira versão e a pessoa que iria apresentar teve um problema e aí o diretor me ligou. Ele disse que seria eu e começaria ‘amanhã’ (risos). Comecei fazendo nos estúdios, depois comecei fazendo da minha casa e aí eu sai porque não dava para conciliar com ‘Vai pra Onde?’. Também quando o Pedro Bial saiu, me deu a sensação que não era o ‘BBB’. Mas, o Tiago Leifert me surpreendeu trazendo uma outra cara e eu comecei adorar.

Quando o Cris me chamou para voltar, em 2020, ao vivo, eu amei porque eu adoro fazer ao vivo. Trabalhei com a Titi Muller e a Vivian. Eu amo esse programa e acho que o programa matriz, o ‘BBB’, cada vez mais traz o reflexo da sociedade e tem trazido temas para a gente debater. As redes sociais estão mais fortes do que nunca e quem não dava importância para as redes sociais antes, hoje dá.

Deixou de ser uma coisa só de jovem e até virou um canal de pronunciamento oficial de presidente, de empresa e personalidade e, com isso, o ‘BBB’ tomou uma proporção de mexer com o Brasil inteiro. Eu estou muito ansioso para a próxima temporada e eu adoro acompanhar essa pré-produção e acompanho pela imprensa, tá? Não acompanho nada de perto porque o programa é muito sério, tudo é muito sigiloso e muitas vezes, eu fico sabendo as coisas cinco minutos antes. Nunca sei quem é o eliminado, nunca sei o que eu vou perguntar e eu gosto dessa emoção.

Você gosta muito de criar novos projetos. Já pensou na possibilidade de criar um reality? Eu não só pensei como criei um reality. Eu vivo criando projetos. A minha vida é criar projetos, muitos não acontecem, alguns acontecem depois de anos e eu até tenho no computador uma pasta com todos os projetos. Vou criando, recriando, apresentado, reapresentando e repaginando. Criei um reality que estou apaixonado e tenho a certeza que vai ser um sucesso. Estou em fase de apresentação para emissoras e plays. Estou correndo atrás.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

POLICIAL

ENTRETENIMENTO

MATO GROSSO DO SUL

MAIS LIDAS DA SEMANA