TRÊS LAGOAS

ECONOMIA

Flybondi operará no Aeroparque a partir de Abril

Publicados

em


source
Flybondi operará no Aeroparque a partir de Abril
Guilherme Dotto

Flybondi operará no Aeroparque a partir de Abril

A partir do dia 1º de Abril de 2021, a Flybondi, companhia argentina de baixo custo, transferirá suas operações para o Aeroporto Jorge Newbery, Aeroparque (AEP), localizado a 6km do centro de Buenos Aires.

Com as regulamentações atuais da Administração Nacional de Aviação Civil (ANAC) e do Organismo Regulador del Sistema Nacional de Aeropuertos (ORSNA), a companhia ficou impossibilitada de operar na Base Aérea de El Palomar (EPA), seu aeroporto sede até então.

Confira abaixo o cronograma das operações da Flybondi no Aeroparque, que podem sofrer alterações ou cancelamentos causados pela demanda ou recorrentes à pandemia.

Esteja informado: clique aqui  e leia mais notícias de aviação!

1º de Abril:

Você viu?

  • Mendoza: três voos semanais;
  • Puerto Iguazú: dois voos semanais;
  • Santiago del Estero: dois voos semanais.
  • San Carlos de Bariloche: dez voos semanais.
  • San Miguel de Tucumán: três voos semanais.
  • San Salvador de Jujuy: quatro voos semanais.
Leia Também:  Presidente do BB sinaliza que vai pedir demissão após crise com Bolsonaro

2 de Abril :

  • Córdoba: quatro voos semanais.
  • Neuquén: dois voos semanais.
  • Posadas: três voos semanais.
  • Salta: quatro voos semanais.
  • Trelew: dois voos semanais.
  • Corrientes: três voos semanais.

Desde agosto, o aeroporto central de Buenos Aires passa por reformas, dentre elas a ampliação de sua pista, onde foram adicionados 650 metros. A data de sua reabertura está programada para o dia 15 de março de 2021.

O post Flybondi operará no Aeroparque a partir de Abril apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Bolsonaro se irritou com Castello Branco em reunião: “vestido de astronauta?”

Publicados

em


source
Roberto Castello Branco
Marcelo Camargo / Agência Brasil

Roberto Castello Branco

O jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, revelou neste domingo (28) detalhes da reunião anterior à demissão de Roberto Castello Branco da presidência da Petrobras . Além dele e de Jair Bolsonaro , estavam presentes também os ministros da Economia, Paulo Guedes , de Minas e Energia,  Bento Albuquerque , da Infraestrutura,  Tarcísio de Freitas , e da Casa Civil, Walter Braga Netto .

No encontro, Castello Branco deveria explicar os reajustes do preço do diesel . Mas o que irritou Bolsonaro foi o fato de que o então presidente da Petrobras estava utilizando equipamentos de proteção para conter a disseminação do novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Aos 76 anos, Castello Branco se protegia – e protegia aos demais – com uma máscara N95 e óculos de proteção. Cumprimentou a todos, mas sem apertos de mãos ou abraços, como o restante estava fazendo. De acordo com a apuração de Lauro Jardim, isso foi o suficiente para Bolsonaro praticamente perder a paciência.

No gabinete presidencial, apenas Guedes usava máscara , mas a retirava ao falar. Já Castello Branco manteve o equipamento de proteção no rosto durante toda a reunião.

Leia Também:  Turboélice Dornier 328 voltará a ser produzido em nova versão

Bolsonaro, que costuma criticar as medidas de segurança contra a Covid-19 , e os ministros chegaram a perguntar porque Castello Branco estava “vestido de astronauta”.

Depois da reunião, o então presidente da Petrobras foi demitido do cargo, e Bolsonaro nomeou o general Joaquim Silva e Luna para o cargo . A intervenção na estatal assustou o mercado e fez as ações da empresa despecarem na Bolsa .

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

POLICIAL

MATO GROSSO DO SUL

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA